O que fazer com os miúdos em casa?

21-03-2020

Hoje, a minha publicação vai fugir uma pouco da temática do emagrecimento. Contudo, não menos importante é tratar da nossa tranquilidade nestes tempos de mudanças e incertezas. Como antes de ser Coach de Emagrecimento fui professora por muitos anos, ouso reviver os caminhos da educação de crianças e falar sobre elas. O emagrecimento será alvo da próxima publicação, está prometido!

Tenho lido em vários grupos o desabafo de mães um bocadinho perdidas em relação ao facto de terem as crianças em casa durante todo o dia. Vivemos num tempo no qual as crianças passam a maior parte dos seus dias em actividades diferentes do brincar: escola, práticas desportivas, práticas artísticas, cursos de idiomas, entre outros. O que menos fazem é ficar em casa e brincar, como eu fiz na minha infância.

Com isto, as crianças não sabem estar em casa, não sabem o que fazer com os tempos livres e passam o dia a perguntar: «O que faço agora?», ou a dizer: «Não tem nada de divertido!» Estou certa?

Bem, diante deste novo cenário social imposto pela ameaça COVID-19, todos buscamos o que fazer com o tempo livre, algo que não estávamos acostumados até uma semana atrás. Assim, o objectivo desta e das próximas publicações é dar dicas para ocupar com qualidade o seu tempo com as crianças. Vamos fazer desta fase um bom motivo para nos reaproximarmos da nossa essência e do convívio em família. Alinhas?

Em primeiro lugar, mantenha uma rotina de estudos. Muito já foi dito sobre isso e é absolutamente necessário que as crianças percebam que estão em casa, mas não em férias. Ter um horário de estudo fará com que o retorno à escola seja o mais natural possível.

Dentro da nova rotina diária vai sobrar muito tempo livre. Para esses eu tenho três excelentes propostas, dois projectos e algumas brincadeiras.. 

Hoje vou falar de dois projectos que achei espectaculares:

Traquinices Amorosas, uma colecção de audiobooks, com as traquinices do ursinho Xavier e da sua pequena irmã Teté. Com textos da talentosa Patrícia Rebelo, narrados pela não menos talentosa Sandra Carujo. Os áudios estão disponíveis pelo Spotify levam cerca de dez minutos e falam ao coração das crianças e dos adultos. Como são histórias curtas, sugiro que, ao final, peça os miúdos que façam um desenho para ilustrar o que ouviram. Como complemento dessa actividade sugiro reunirem os desenhos para que possam fazer uma bela exposição ao final deste período de isolamento. O projecto possui uma página no Facebook e lá estão os links para as histórias: https://www.facebook.com/traquinicesamorosas

Também podes entrar directamente pelo Spotify, através do llink:

https://open.spotify.com/episode/7t0srvtqg0bw00S352ifCU 

Dance Kids, da coreografa, professora de dança e bailarina Marta Salsinha. A proposta da Marta é levar as crianças de todas as idades a moverem o corpo e dançarem a valer! As aulas são dadas online e ela consegue interagir com todos. A primeira edição foi um grande sucesso! Sem dúvida, uma excelente alternativa para estes dias de isolamento social, pois mexe o corpo, a alma e as emoções! A referir que também existem turmas de jovens e de adultos. Para mais e melhores informações, entre em contacto, por mensagem privada para: https://www.facebook.com/marta.salsinha

Além dessas duas alternativas, nos tempos livres sempre se pode reviver as brincadeiras do tempo dos avós. Aqui vão algumas dicas de jogos e brincadeiras:

  • Estou daqui a ver... - Uma pessoa observa um objecto qualquer num sítio qualquer, e a outra tem de fazer perguntas a que a resposta só pode ser 'sim' ou 'não' até adivinhar qual é o objecto. É um jogo que tem a vantagem de poder ser jogado em qualquer lado e com qualquer número de jogadores.
  • O Saco Mistério - Se tiver um saco consigo, enfie lá para dentro alguns objectos. Só por apalpação, eles têm de adivinhar o que lá está.
  • Conta-me um segredo - É um jogo tão tolo que também só pode fazê-lo com menores de sete anos: segrede qualquer coisa. O que quer que seja. Chegue-lhe a boca ao ouvido e murmure: 'Os cães têm quatro patas'. Ele vai rir-se. Peça-lhe para lhe contar um segredo de volta. Quanto mais parvos, mais vontade de rir dá. Mas nunca se sabe, pode ser que aprenda qualquer coisa...
  • Jornalista - A criança deve fazer ligações aos membros da família (avós, tios, tios-avós, entre outros) e fazer-lhes uma entrevista sobre como era Portugal quando eles eram crianças, em especial sobre os jogos e brincadeiras. Na sequência as crianças podem reproduzir as brincadeiras. Será uma viagem bem interessante a um passado tão próximo.

Espero que este artigo possa, de facto, ajudar com os miúdos. Seja ao ouvir as histórias dos ursinhos Xavier e Teté, seja a dançar a valer com a Marta Salsinha ou a desenvolver os jogos aqui descrito O mais importante em tudo isso é manterem a boa disposição, o optimismo e a união em família. No mais, puxe as lembranças do tempo de criança e ensine a tua criança que ficar em casa pode e deve ser uma delícia! 

-----

Obrigada por teres chegado até aqui. O teu comentário é muito importante para que eu possa melhorar os conteúdos apresentados.

A divulgação das publicações ajuda o blog a crescer. Caso julgues que este conteúdo é útil, não hesite em partilhar.


Comments System WIDGET PACK