Março de 2020
Março de 2020

Para me apresentar tenho de começar por dizer que o meu nome é Daisy Vasconcelos, e não poderia deixar de partilhar que hoje, dia 09 de março de 2020, completo 57 anos.

Algo que sinto que é importante saberem, para compreenderem quem sou e qual é a paixão que me move, é que eu fui obesa durante 26 anos.

Sou brasileira de nascimento e sou portuguesa de alma e emoção. Desde sempre me dediquei a ajudar pessoas, tanto nas suas vidas pessoais como nas actividades profissionais. Em alguns momentos, exagerei na minha dedicação aos outros e esqueci-me de cuidar de mim. Hoje tenho isso bem resolvido. Com um grande crescimento emocional e depois de ter aprendido e colocado em prática um equilíbrio entre a emoção e a razão, bem estruturado, sei que a minha paixão é cuidar e despertar no outro a consciência da sua auto-estima e amor-próprio, ajudando, assim, as pessoas ao meu redor.

Fevereiro de 2020
Fevereiro de 2020

Tenho uma crença muito forte que a capacidade humana é capaz de se reinventar a cada dia, em qualquer idade. Talvez, por isso, eu seja conhecida como uma fénix, pois já ressurgi das cinzas, várias vezes e, por isso também, acredito e vivo dessa maneira. Penso que existe sempre tempo para avaliar e mudar o rumo, e que para isso acontecer basta querer e acreditar. O resto a vida se encarrega-se de ajudar. 

Julho de 2008
Julho de 2008

Durante a minha fase de obesidade, passei por diversos processos, nos quais posso destacar que passaram da negação do problema às tentativas de emagrecimento. Em diversos momentos faziam-me emagrecer à força inúmeras vezes: desde o uso de medicamentos a acupunctura, passando por dietas das mais diversas e produtos "milagrosos" (entre outros) que me faziam andar parecendo um iô-iô. Depois de imensas desistências e ganhos de peso, percebi que o problema maior não era o que eu comia, mas sim como a minha mente processava a relação com a comida

Após este meu percurso, consegui encontrar no Coaching a minha arma de transformação, libertação e também a minha paixão. 

25/12/2019
25/12/2019

Actualmente, tenho uma relação muito tranquila com a minha alimentação e no meu corpo só permito que entre comida que considero de verdade, ou seja saudável, tanto que a minha ceia de Natal foi uma linda e deliciosa salada, sem sobremesa. Comi muito bem, conversei imenso e tive uma noite muito feliz. 

Hoje já sou capaz de dizer não às asneiras com muita tranquilidade. Aliás, mais do que com tranquilidade, digo não com um enorme prazer, pois agora sinto-me livre.